Parte 2: Domando o Mamute

Uma tradução do post originalmente publicado por Wait But Why aqui.

Leia a parte 1 em Português aqui.

Alguns nascem com um mamute razoavelmente manso ou foram criados por pais que ajudaram a manter o mamute em cheque. Outros morrem sem nunca ter domado o mamute, passando sua vida toda sob sua autoridade. A maioria de nós está no meio – controlamos nosso mamute em algumas áreas da nossa vida enquanto ele causa estragos em outras. Ser controlado pelo seu mamute não te faz ruim ou fraco – simplesmente significa que você ainda não descobriu como dominá-lo. Talvez você nem saiba que tem um mamute, ou do quanto sua Voz Autêntica foi silenciada.

Qualquer que seja a situação, são três passos para assumir o controle do seu mamute:

Primeiro Passo: Realize um Auto-Exame

Este primeiro passo rumo à melhora trata de uma avaliação clara e honesta de o que se passa na sua cabeça, e é composto de três partes:

1) Conheça sua Voz Autêntica

24meet-AV1

Não parece difícil, mas é. Tem que se fazer uma reflexão séria para conseguir passar pelas teias dos conceitos e opiniões dos outros e descobrir quem é o seu verdadeiro eu. Você passa tempo com muitas pessoas – de quais delas você mais gosta? Como você passa seus momentos de lazer e você realmente gosta destes momentos? Tem alguma coisa na qual você regularmente gasta dinheiro mas não se sente bem com isso? Como que você se sente de verdade em relação ao seu trabalho e seu relacionamento? Qual é a sua verdadeira opinião política? E você sinceramente se importa com isso? Você finge se importar sobre certas coisas sobre as quais não se importa só para dizer que tem uma opinião? Você secretamente tem uma opinião sobre uma questão política ou moral sobre a qual nunca fala porque as pessoas que você conhece ficariam ultrajadas?

Há expressões clichés para este processo – “busca interior” ou “encontrar-se” – e é exatamente isso que precisa acontecer. Talvez você possa refletir sobre isso da cadeira em que está sentado agora ou a partir de outra parte da sua vida normal – ou talvez você precise ir para algum lugar longe, sozinho, sair da sua vida para examiná-la de modo eficiente. De um jeito ou de outro, você vai ter que descobrir o que tem importância para você de verdade e começar a se orgulhar de qualquer que seja sua Voz Autêntica.

2) Descubra onde o mamute se esconde

25mammoth-hiding

A maioria das vezes que um mamute controla uma pessoa, a pessoa não se dá conta disso. Mas você não conseguirá fazer nenhum progresso sem enxergar com clareza as áreas mais problemáticas.

A maneira mais óbvia de encontrar o mamute é descobrir onde está o seu medo – em que área você se sente mais suscetível a sentir vergonha ou constrangimento? Que partes da sua vida um terrível sentimento de derrota toma conta de você quando você pensa a respeito? Em que áreas a ideia de que possa falhar é um pesadelo? Que coisas você é muito tímido para fazer em público mesmo sabendo que é bom naquilo? Se você fosse dar um conselho a si mesmo, que partes da sua vida sem dúvida precisariam mudar mas no momento você evita fazer algo a respeito?

O segundo lugar onde um mamute se esconde é naquela sensação exageradamente boa que sentimos quando somos aceitos ou estamos em um pedestal acima das outras pessoas. Você é do tipo que quer agradar a todos no trabalho ou em um relacionamento? Você tem medo de desapontar seus pais e prefere deixá-los orgulhosos antes de gratificar a si mesmo? Você tem prazer em estar associado a coisas de prestígio ou se importa um pouco demais com status? Você se exibe mais do que devia?

A terceira área na qual o mamute se faz presente é onde você não se sente à vontade para tomar uma decisão sem “permissão” ou aprovação dos outros. Você tem opiniões que está regurgitando da boca de outra pessoa, as quais se sente confortável em expressar agora que esta outra pessoa verbalizou esta opinião? Quando você apresenta sua nova namorada ou namorado para seus amigos ou família, a reação deles pode afetar seus sentimentos por ele/ela? Tem um Mestre das Marionetes na sua vida? Se sim, quem é, e por quê?

3) Decida se está na hora de catapultar o mamute

26ousted1

Não é um projeto realista pensar que você vai tirar o mamute por completo da sua cabeça – você é humano e humanos tem mamutes na cabeça, ponto final. O que todo mundo precisa fazer é remover certas áreas sagradas de nossas vidas que tem que ficar nas mãos da VA e livre da influência do mamute. Existem áreas que obviamente precisam fazer parte do domínio da VA como escolha do parceiro para a vida, carreira e maneira de educar os filhos. Outras são pessoais – depende da resposta à questão, “Em que partes da sua vida você precisa ser inteiramente fiel a si mesmo?”

Segundo Passo: Crie Coragem Internalizando que o Mamute Tem QI Baixo

Mamutes Peludos de Verdade eram tão inexpressivos que foram extintos, e o Mamute de Sobrevivência Social não é nada melhor. Apesar dos mamutes nos assombrarem, nossos mamutes são criaturas burras e primitivas que não possuem nenhum conhecimento do mundo moderno. Entender isto – e internalizar isto – é uma peça-chave rumo a domar o seu. Existem dois grandes motivos para não se levar o mamute a sério

1) Os medos do mamute são completamente irracionais.

5 coisas sobre as quais os mamutes estão errado

  • Todo mundo está falando de mim e da minha vida, então imagina o quanto irão falar se eu fizer essa tal coisa arriscada ou esquisita.

É assim que o mamute pensa que as coisas são:

27circles

É assim que as coisas são na realidade:

28circles-2

Ninguém dá tanta bola assim para o que você faz. As pessoas estão muito mais interessadas em si mesmas.

  • Se eu tentar de verdade, conseguirei agradar a todo mundo.

Sim, talvez em uma tribo de 40 membros com uma cultura unificada. Mas no mundo de hoje, não interessa quem você é, um monte de gente vai gostar de você e um monte de gente não. Ser aprovado por um tipo de gente significa afastar-se de outros tipos gente. A obsessão por querer ajustar-se a todos os grupos é ilógica, principalmente se este grupo não for como você. Você terá todo esse trabalho e, enquanto isso, os seus tipos preferidos de verdade estarão em por aí fazendo amizade uns com os outros.

  • Ser desaprovado, desdenhado ou mal falado são coisas com consequências reais na minha vida.

Quem desaprova o seu jeito de ser ou o que você faz não está na mesma sala contigo 99,7% do tempo. É um erro clássico de mamutes fabricar uma visão sobre futuras consequências sociais que é bem pior do que acaba realmente acontecendo – normalmente nada.

  • As ideias de pessoas muito críticas importam.

Pessoas muito críticas funcionam assim: elas são altamente controladas pelo mamute, se tornam bons amigos e namoram outras pessoas super críticas altamente controladas pelo mamute. Uma das atividades primárias que eles fazem juntos é falar mal de quem quer que não estiver com eles – talvez eles sintam ciúmes e deem um rolar de olhos em desaprovação na tentativa de a inverter o script e sentir menos ciúmes, ou talvez eles não estejam com ciúmes e usem alguém como veículo para banhar-se em schadenfreude – mas qualquer que seja o sentimento implícito, as críticas servem para alimentar seus mamutes famintos.

29eating-words-1

30eating-words-2

31eating-words-3

Quando as pessoas falam mal dos outros, elas inventam estas divisões de categorias nas quais eles sempre estão no lado certo. Elas fazem isso para colocar a si mesmos em um pedestal do qual seus mamutes possam tirar umas dentadas.

Ser o objeto que faz uma pessoa super crítica se sentir bem consigo mesmo é um tanto indignante – mas isso não tem consequências reais e fica claro que a situação é muito mais sobre a pessoa crítica e seu problema com o mamute do que sobre você. Se você se pegar tomando decisões baseadas em não ficar mal falado por uma pessoa super crítica, pense bastante sobre o que está acontecendo e pare.

  • Sou uma pessoa má se eu desapontar ou ofender a pessoa/as pessoas que me amam e que investiram tanto em mim.

Não. Você não é uma pessoa má por ser quem a sua Voz Autêntica é. É simples – se eles te amam altruisticamente, eles acabarão mudando de opinião e aceitarão tudo quando perceberem que você está feliz assim. Se você está feliz e ainda assim eles não mudam de opinião, vai acontecer isso: a sensação deles de que sabem quem você deveria ser ou o que você deveria fazer é a voz dos seus próprios mamutes, e a grande motivação deles é a preocupação sobre “que cara” isso vai ter perante as pessoas que eles conhecem. Se eles permitem que seus mamutes sejam maiores do que o amor que sentem por você, devem ser ignorados com vigor.

Outros dois motivos pelos quais essa obsessão por aprovação social do mamute não faz sentido:

A) Você vive aqui:

32Earth

Então quem se importa com qualquer coisa?

B) Você e todo mundo que você conhece morrerão. Meio que em breve.

33die

Então, tipo…

O mamute tem um QI baixo por causa de seus temores irracionais. Eis o segundo:

2) Os esforços do mamute são contra produtivos.

A ironia da coisa toda é que esse mamute desajeitado obsessivo não faz nem seu próprio trabalho bem feito. Seus métodos para conquistar aprovação talvez tenham sido eficientes em épocas mais simples, mas hoje em dia, eles são transparentes e brochantes. O mundo moderno é um mundo da VA, e se o mamute quiser vencer socialmente, ele tem que fazer aquilo que mais lhe assusta – deixar a VA assumir o comando. Eis o porquê:

VAs são interessantes, mamutes são chatos. Toda VA é única e complexa, o que é algo inerentemente interessante. Mamutes são todos iguais – eles copiam e entram em conformidade, e seus motivos não se baseiam em nada autêntico ou real, apenas em fazer o que acham que devem fazer. Isto é chato ao extremo.

VAs lideram. Mamutes seguem. Liderança é algo natural para a maioria das VAs, pois elas expressam suas ideias e opiniões de um ponto de vista original, o que os confere um ângulo original. Se elas forem espertas e inovadoras o suficiente, elas podem mudar as coisas no mundo e inventar coisas de abalam o status quo. Se alguém pega um pincel e uma tela branca, talvez não pinte uma coisa bonita – mas de alguma maneira mudará a tela.

Mamutes, por outro lado, seguem – por definição. Eles são criados para isso – para se enturmar e seguir um líder. A última coisa que um mamute faria seria mudar o status quo, pois ele se esforça bastante para ser o status quo. Se alguém pega um pincel e uma tela, mas a tinta é da mesma cor da dela, pode pintar o quanto quiser, não mudará nada.

As pessoas gravitam ao redor de VAs, não de mamutes. A única chance de uma pessoa tomada pelo mamute ser interessante em um primeiro encontro é quando o encontro for com outra pessoa tomada por um mamute. Pessoas com uma VA forte não se deixam enganar por essas pessoas controladas por mamutes e nem se sentem atraídas por elas. Uma amiga minha estava namorando um cara que teoricamente era interessante, mas acabou com ele porque não conseguia se apaixonar por ele. Ela tentava explicar por quê, pois ele não era estranho ou especial o suficiente – ele era só “mais um cara”. Em outras palavras, ele estava sendo muito governado por um mamute.

Isso também acontece entre amigos e colegas, pessoas governadas por suas VAs são mais respeitadas e magnéticas – não porque necessariamente haja algo extraordinário sobre essas pessoas, mas porque as pessoas respeitam alguém com uma personalidade forte capaz de domar seu mamute.

Terceiro Passo: Comece a Ser Você Mesmo

Este post era só entretenimento até que falou em “começar a ser você mesmo”. Até agora, esta foi uma reflexão interessante sobre por que humanos dão tanta bola para o que os outros pensam, por que isso é ruim, por que isso é um problema na sua vida e por que não existe um bom motivo para que isso continue te abalando. Mas realmente fazer algo depois que terminar de ler este artigo, daí já é outra história. Pra isso é necessário mais do que uma reflexão – pra isso é necessário ter coragem.

34toe-in-water

Mas coragem pra quê, exatamente? Como discutimos, não há perigo real envolvido em ser você mesmo – mais do que qualquer coisa, basta uma epifania ao estilo A Roupa do Imperador, simples assim:

Quase nada que te assusta socialmente é de fato assustador.

Absorver este raciocínio diminuirá o medo que você sente e, sem medo, o mamute perderá poder.35medium-mammoth1

 

Com um mamute enfraquecido, é possível começar a defender quem você é e fazer algumas mudanças audaciosas – e quando você perceber que estas mudanças deram certo com algumas poucas consequências negativas e nenhum arrependimento, a epifania se confirmará e uma VA poderosa se tornará um hábito. Seu mamute agora perdeu a capacidade de coordenar a situação, está domado.

36small-mammoth

 

Se você gostou deste post, receba Por Email o post semanal do pessoal do Wait But Why (em inglês) – eles prometem jamais mandar spam.

Mais de Wait But Why:

Why Generation Y Yuppies are Unhappy

Life is a Picture, But You Live in a Pixel

Your Life in Weeks

Siga Wait But Why no Facebook: www.facebook.com/waitbutwhy 

Siga Wait But Why no Twitter: www.twitter.com/waitbutwhy

 

Para acompanhar os próximos posts em Português, siga Camila Santos Simmons e suas peripécias tradutóricas.

 

 

Advertisements

One thought on “Parte 2: Domando o Mamute

  1. Pingback: Domando o Mamute: Por Que Você Deveria Parar de se Importar Com o Que os Outros Pensam | FALANDO CAS PAREDE

Quê tu acha?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s